Fechar
Oferta
até

Conheça Rancharia


Conheçam a história da nossa querida Rancharia!!!

No início do ano de 1916, no local onde nasceu a cidade de Rancharia, a Estrada de Ferro Sorocabana, desbravadora dos Sertões do Estado de São Paulo, compreendida entre os rios Paranapanema e Peixe, foi construído um acampamento de rancho para a turma de trabalhadores que executavam as tarefas necessárias à construção da ferrovia.

Os feitores desse serviço distinguiram o acampamento pela designação de Rancharia, que difundida, tomou corpo, oficializando-se como o nome da localidade.

Logo, muitos sertanistas, entre eles José Silva de Oliveira, Francisco Isidoro, José Custódio Dias de Araújo, Antonio Figueiredo, Antonio Palácio e Julio Lucant, construíram as primeiras casas e dividiram a gleba de terra, marcando o início da povoação.

A inauguração da estação ferroviária, a 10 de setembro de 1916, é também considerada a data de fundação da povoação.

Em 30 de julho de 1929 a povoação foi elevada a Distrito Policial. Pelo decreto nº 6470, de 28 de maio de 1934 foi elevada a Distrito de Paz, pertencendo ao município de Quatá.

Em 5 de julho de 1935, pelo decreto nº 7357, o distrito foi elevado a município, constituído dos distritos de Rancharia e Iepê. A instalação se deu em 16 de agosto de 1936.

O decreto nº 14.334, de 30 de novembro de 1944, desmembrou o distrito de Iepê, e criou a Comarca de Rancharia. A instalação da Comarca se dá em 13 junho de 1945. Hoje, Rancharia possui dois distritos, Agissê e Gardênia.

Como surgiu

Rancharia no local onde está situada a antiga Estrada de Ferro Sorocabana. Ali foi erguido um acampamento de ranchos para os operários que estavam encarregados de abrir estradas (picadões), fazer cortes e aterros, aplainar o terreno, enfim, executar as tarefas necessárias à construção de uma ferrovia.

Cercado por matas bravias, tendo como única saída o rasgo da floresta, por onde, mais tarde, chegariam os trilhos, esse acampamento de ranchos vivia quase abandonado durante o dia.

Algazarras dos peões

Mas ao cair da noite era intenso o movimento, quando os trabalhadores voltavam do trabalho carregando suas ferramentas e fazendo algazarras, para se reunir torno da refeição ao final do dia e para descansar. Os feitores desse serviço distinguiam o acampamento dos demais, pela designação de Rancharia. Tal designação, tanto foi difundida que acabou sendo aceita, oficializando-se como nome da localidade.

Como ela era

Conforme documentos históricos, em 1931 Racharia se traduzia apenas em um distrito policial. Nas proximidades da estação havia um aglomerado de casas de madeira, em torno de 10 a 12, além de um hotel, que era de tijolos. O hotel era muito bem construído e era dirigido por um japonês chamado Tetsuo Zoriki.

Uma rua larga descia da estação até a vila. Esta rua, que hoje é a principal avenida, era apenas demarcada até nas proximidades da farmácia do senhor José Borges de Morais, mais conhecido por "Borginho", onde atualmente localiza-se o prédio da Rádio Difusora. Reza a história que até esse ponto não havia casas, era uma espécie de estrada larga com mato em ambos os lados.

A partir deste ponto tinha início o povoado, que agrupava de 80 a 100 casas de madeira e algumas de alvenaria. A rua principal era a atual avenida Dom Pedro II e terminava um pouco além da capela. Existiam ainda mais duas ruas paralelas a ela e de cinco a seis transversais, que apesar de demarcadas continham poucas casas.

Ao contrário de hoje, a praça da capela emanava desolação e tristeza. A capelinha de madeira ficava no meio de um capinzal, com a frente voltada para a avenida. As ruas, sem pavimentação, eram de terra batida, lamacentas quando o tempo ficava chuvoso e poeirentas em tempo de seca. Também não havia água encanada e nem luz elétrica, muito menos rede de esgotos. Raríssimas residências se davam ao luxo de ostentar calçadas em suas frentes.

Duas farmácias, um cinema

Moradores da vila se dispunham apenas de um médico - o doutor Benedito Martins Barbosa - e de duas pequenas farmácias, além de um cinema, o Progresso, que pertencia ao senhor Luiz Bacco. A vila tinha ainda uma pequena banda musical, que era regida pelo mesmo Luiz Bacco.

O engenheiro Júlio Lucant foi quem fez a demarcação dos quarteirões da vila e da praça em gleba de terra de sua propriedade, o que lhe rendeu o título de fundador da cidade.

De onde veio o nome?

Antigos moradores relatam que Rancharia começou a surgir por volta de 1915. Mas a origem do nome do lugar tem duas versões. Primeiro, que bem antes do surgimento da estrada de ferro, o local já era denominado de Rancharia. E o motivo era porque os tropeiros e boiadeiros costumavam passar por ali com suas tropas e boiadas, vindas de Mato Grosso. Eles, então, tinham o hábito de pernoitar nos ranchos construídos no meio da pastagem, dotada de abundante água. A segunda versão é de que o nome Rancharia procede devido o prolongamento da Estrada de Ferro Sorocabana até as barrancas do rio Paraná. Seja como for, o local ficou definitivamente conhecido por Rancharia.

Atração para sertanistas e sitiantes

A exuberância das terras e a aglomeração de pessoas foram um ímã para sitiantes, sertanistas e pequenos comerciantes. Conseqüentemente surgiu o povoado.

Assim, a estrada de ferro foi inaugurada em 10 de setembro de 1916, a mesma data escolhida para fundação da cidade.

Por volta de 1933, alguns moradores se rebelaram contra o nome Rancharia, por considerá-la progressista. Com isso iniciaram um movimento com o objetivo de mudar o nome para Tabauna, mas idéia não encontrou eco e teve de ser abortada.

Os tempos vão passando e no dia 26 de agosto de 1935 é criada a paróquia da cidade. Um ano depois, no dia 15 de dezembro, é instalada a Coletora Estadual. A telefonia chega em 1939 e neste mesmo ano é construído o Aeroporto Gaspar Ricardo, que foi inaugurado em 23 de abril pela "Revoada à Sorocabana". O progresso continua em 1940, com a criação pelo decreto federal 2288 de 7 de junho da Coletoria Federal.

Também é oficializado o Tiro de Guerra do município e no dia 7 de setembro a primeira turma de reservistas presta juramento à bandeira.

Aos 14 de setembro o interventor federal do estado de São Paulo, Adhemar Pereira de Barros, visita Rancharia. Em 30 de novembro de 1944 é criada a Comarca de Rancharia, constituída pelos municípios de Rancharia e Iepê. Época em que a cidade ficava a 700 quilômetros de São Paulo, pelos trens da Ferrovia Paulista, cuja viagem durava 22 horas.

No ano de 1940 havia 3.353 habitantes em Rancharia, e 744 residências, conforme recenseamento. A primeira agência bancária se instalou no município em 1939, denominada de Casa Bancária Almeida, que depois se transformou no Banco Brasileiro de Descontos (Bradesco).

Em 1982 a população urbana ranchariense chega a 17.216 habitantes e 6.121 rural, totalizando 23.337. Um dos últimos censos realizados no município revelou uma população total de 28.766 habitantes, sendo 14.268 homens (49,60%) e 14.498 mulheres (50,40%). Já a população urbana, conforme este censo, chegou a 24.985 (86,86%) e a população rural a 3.781 (13,14%).


Rancharia

Habitat Negócios Imobiliários © 2010 - Todos os Direitos Reservados

Rua Adhemar de Barros, 264 - Centro - Rancharia / SP | CRECI: 022782-J

Tel: (18)3265-2254 e-mail: habitat@creci.org.br

Atendimento On-line: 

Desenvolvido por Oeste Sistemas